Prefeitura começa a pagar empréstimo feito pelo ex-prefeito
11/10/2021 14:03 em Notícias Gerais

LUCIANA ARCHETE

Jornalista MG19681JP

Com informações da Ascom Prefeitura

 

 

Quando um prefeito não pensa no povo que confiou em seu voto é colocar em risco todo um trabalho. Foi assim que o ex-prefeito de Muriaé agiu ao contrair uma dívida de R$ 50 milhões que, com juros e mora, obrigará o povo a pagar R$ 68 milhões à Caixa Econômica Federal.

À época do empréstimo, tentou enganar o povo dizendo que o dinheiro era devido pelo Estado e que este pagaria as parcelas. Mas a mentira ficou comprovada e o povo decidiu por uma escolha que busca reconstruir a cidade e amenizar os estragos feitos.

Afinal, o dinheiro do empréstimo chegou em época de eleição e foi usado não para desenvolvimento da cidade. Reforma de praças e asfalto de qualidade duvidosa.

A dívida do município em 31 de dezembro de 2020 era de R$ 68 milhões do tal empréstimo e R$ 6 milhões de precatórios que deixaram de ser pagos.

Mas, desde janeiro deste ano, a Prefeitura de Muriaé (gestão José Braz/Marcos Guarino) já pagou R$5,7 milhões de dívidas que foram deixadas pela administração anterior.

Este montante divide-se da seguinte forma: R$2,65 milhões referentes à amortização do empréstimo de R$50 milhões que foi contraído já na reta final da gestão passada; R$1,2 milhão referente a juros do mesmo empréstimo; R$1,93 milhão referente ao pagamento de precatórios atrasados.

 

Dívida milionária

 

Em maio de 2020, a gestão passada contraiu dívida no valor de R$50 milhões junto ao programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa). Esta contratação foi feita para ser quitada ao longo de 10 anos (120 meses), porém com um ano de carência.

Ou seja: o pagamento só seria iniciado de fato a partir de abril de 2021, com prazo reduzido para nove anos e parcelas de valor ampliado, devido à carência. E foi o que aconteceu.

No entanto, com as amortizações que vêm sendo feitas mês a mês, a atual gestão pretende conseguir acelerar o pagamento da dívida milionária, a fim de equilibrar as contas públicas no menor prazo possível.

Vale lembrar que o empréstimo de R$50 milhões foi contraído poucas semanas antes do período eleitoral de 2020. Os recursos obtidos foram aplicados na reforma de diversas praças que estavam em situação adequada de conservação.

COMENTÁRIOS